Newsletter Editora RH
Subscrever
Brevemente

Regulação, Ética e Governance: O Mercado da Informação Financeira
Jorge Rodrigues



Manual de Comportamento Organizacional e Gestão (8.ª edição)
Miguel Pina e Cunha, Arménio Rego, Rita Campos e Cunha, Carlos Cabral-Cardoso, Pedro Neves
10% 44.55€ 49.5€

pp. 898, 8.ª edição, 2016, formato: 19,8 x 26,4cm/ISBN: 978-972-8871-58-1

 

Download PDF Exercícios de Apoio

  • SINOPSE
  • SOBRE O AUTOR
  • índice

Revisto e atualizado, este manual integra os mais recentes desenvolvimentos no domínio do comportamento organizacional. É acompanhado de um Manual de Exercícios disponível para acesso no website da editora. O tom pedagógico da obra, repleta de ilustrações e inúmeras caixas que permitem projetar diferentes olhares sobre o tema em análise, torna-a uma excelente fonte de apoio à lecionação de disciplinas relacionadas com o comportamento organizacional e a gestão de pessoas. Os profissionais da gestão de pessoas, e da gestão em geral, podem aqui encontrar inúmeras orientações com a devida fundamentação. Entre os temas tratados estão as emoções e a inteligência emocional, a motivação, a liderança, a comunicação, o conflito, a mudança, a tomada de decisão, a aprendizagem e inovação, a cultura e o poder. Temas mais recentes como o capital psicológico, a segurança psicológica, a inteligência cultural e a liderança autêntica também são explorados.

Miguel Pina e Cunha é professor catedrático na Nova School of Business and Economics. Faz investigação na área do comportamento organizacional.

Arménio Rego é doutorado em gestão e professor universitário. Autor ou coautor de livros nas áreas da liderança e da gestão de pessoas, tem realizado formação, coaching e consultoria nas mesmas áreas. Publicou em revistas como Human Relations, International Journal of Human Resource Management, Journal of Business Ethics, Journal of Business Research, Journal of Occupational Health Psychology e Leadership Quarterly.

Rita Campos e Cunha é professora na Nova School of Business and Economics. Licenciada em psicologia pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada, obteve os graus de mestre em gestão de recursos humanos pela New York University, um PhD em management pela University of Manchester, Institute of Science and Technology e agregação em gestão de recursos humanos, pela Universidade Nova de Lisboa. A sua atividade de ensino tem incidido na gestão de recursos humanos e comportamento organizacional. É autora de livros, diversos capítulos e artigos publicados a nível nacional e internacional.

Carlos Cabral-Cardoso é doutorado em comportamento organizacional pela Universidade de Manchester e é professor catedrático na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Responsável pela área de Organização e Políticas Empresariais e pela pós-graduação (mestrado e doutoramento) nas áreas de Estudos Organizacionais e de Gestão de Recursos Humanos. Entre as suas publicações contam-se artigos em revistas internacionais.

Pedro Neves é professor associado na Nova School of Business and Economics, doutorado em psicologia social e das organizações pelo ISCTE-IUL e realizou um post-doc na University of Delaware. Os seus trabalhos têm sido publicados em revistas como Journal of Applied Psychology, Journal of Business Ethics e Leadership Quarterly (entre outras), além de ter publicado também livros em território nacional.

Introdução
O que se mantém
O que muda
Um incremento prático com exercícios
Estrutura do Manual
Aprendizagem mútua
Agradecimentos
  
Capítulo 1 – Organizações: sua natureza e complexidade
Introdução
O comportamento organizacional e as escolas de gestão
Organizações: o que são?
Imagens metafóricas da organização
Súmula conclusiva
Complemento
 
Capítulo 2 – Comportamento organizacional: o papel da personalidade e das forças situacionais
Introdução
Três tipos de determinantes do comportamento organizacional
Fatores disposicionais
A matriz de personalidade Myers-Briggs
Os "Cinco Grandes"
Outras caraterísticas de personalidade
Aptidões
Perceções e enviesamentos percetivos
Fatores situacionais
A perspetiva interacionista
Súmula conclusiva
 
Capítulo 3 – Emoções e inteligência emocional: a dialética coração-razão
O ingresso das emoções no campo das preocupações dos investigadores e dos práticos
O binómio emoção-razão nas investigações e nas organizações
Inteligência emocional
A gestão instrumental das emoções dos membros organizacionais
Súmula conclusiva
 
Capítulo 4 – Motivação e bem-estar no trabalho
Introdução
O conceito e teorias de motivação
Teorias de conteúdo (gerais)
Teorias de conteúdo (organizacionais)
Teorias de processo (gerais)
Teorias de processo (organizacionais)
Gerindo a satisfação
Modelos centrados no indivíduo
Modelos centrados nas situações
Modelos internacionais
As causas da satisfação
Consequências e respostas à (in)satisfação
Stresse: combatendo a "epidemia" dos tempos modernos
Felicidade e desempenho - para além da satisfação
Súmula conclusiva
  
Capítulo 5 – Criando vínculos positivos entre as pessoas e a organização: quatro caminhos
Introdução
Socialização organizacional
Contrato psicológico
Equilíbrio trabalho-família
Empenhamento
Súmula conclusiva
 
Capítulo 6 – Trocas sociais positivas: justiça, apoio e confiança
Introdução: as trocas e o sentido do dever de reciprocidade
Justiça organizacional
Perceções de apoio organizacional
Confiança
Súmula conclusiva
 
Capítulo 7 – O processo de liderança: a dialética líder-seguidores
O que é a liderança?
Liderança e eficácia organizacional?
As abordagens dos traços e das competências
As abordagens comportamentais
Abordagens contigenciais/situacionais
Liderança carismática e transformacional
Liderança autêntica e outros construtos relacionados
Outros tópicos pertinentes
Súmula conclusiva
 
Capítulo 8 – Comportamentos de cidadania organizacional: a síndrome dos bons soldados
O paradoxo da vida organizacional: serão obrigatórios os atos "discricionários"?
Problemas oriundos da definição tradicional de CCO
O sentido da reconcetualização: o CCO como desempenho contextual
Dimensões da cidadania organizacional
CCO e eficácia organizacional
O que induz as pessoas a adotar CCO?
Devem os sistemas de avaliação de desempenho englobar critérios de cidadania?
Súmula conclusiva
Complemento
 
Capítulo 9 – Grupos: quando o todo é mais (ou menos) que a soma das partes
A essência dos grupos no trabalho organizacional
A natureza dos grupos
Porque se formam os grupos?
Tipos de grupos
Fatores influenciadores da eficácia dos grupos
Resultados
Diagnóstico de eficácia das equipas
Desvantagens dos grupos e riscos presentes no seu funcionamento
Potenciando o poder dos grupos das organizações: reuniões para resolução de problemas e tomada de decisão
Súmula conclusiva
 
Capítulo 10 – Comunicação: o aparelho circulatório da vida organizacional
A comunicação no âmago da vida organizacional
As dimensões básicas do processo comunicacional
A escuta ativa
Estilos pessoais de comunicação
Fluxos de comunicação nas organizações
Fluxos comunicacionais obstruídos ou danificados
Súmula conclusiva
 
Capítulo 11 – Conflito e negociação: discórdia, competição e cooperação
O conflito: noções e categorias
Cinco estratégias de gestão do conflito, cinco estilos preferenciais, cinco tipos de soluções
O conflito como processo
Vantagens e desvantagens do conflito
Negociação: algumas traves-mestras
A preparação da negociação
Estratégias e táticas negociais
Erros comuns na negociação - e algumas desejáveis precauções
Intervenção de terceiras partes
Súmula conclusiva
 
Capítulo 12 – Tomada de decisão: razão, intuição, improvisação e política
Decisões humanas: evitando a armadilha da racionalidade
Decisões: noção, fases e tipos
Modelos de decisão: racionalidade, intuição e improvisação
Modelo de decisão racional: "Pensar primeiro"
Modelo de decisão intuitiva: "Ver primeiro"
Modelo de decisão improvisada: "Fazer primeiro"
Breve síntese e discussão sobre os modelos de decisão
Casos especiais de tomada de decisão
Caraterísticas individuais na tomada de decisão
Súmula conclusiva
 
Capítulo 13 – Estrutura e controlo: processos de coordenação organizacionais
Introdução
Estrutura organizacional
A estrutura informal
Dimensões estruturais
Os determinantes da estrutura
Formatos estruturais
Os tipos organizacionais (ou configurações) de Mintzberg
Sinais de deficiência estrutural
Processos de controlo organizacional
O controlo numa perspetiva cibernética
Controlo e flexibilidade
Estratégias de controlo
Configurações ou sistemas de controlo: três níveis de controlo
Configurações ou sistemas de controlo: a tipologia de Ouchi
Um balanço crítico
Dificuldades com a implementação de sistemas de controlo
Súmula conclusiva
 
Capítulo 14 – Cultura: o software mental
A chegada triunfal de um novo ciclo, a ascensão e a queda
Cultura organizacional e nacional: o que são?
Caraterísticas distintivas da cultura organizacional
Cultura: do culto à gestão
Nível transcultural
Nível organizacional
Nível grupal
Nível individual
O clima organizacional
Súmula conclusiva
 
Capítulo 15 – Organizações num mundo em mudança
O hardware e o software organizacionais na base do sucesso da mudança
A natureza da mudança organizacional
Gestão, liderança e mudança organizacional
Porquê, quando e como mudar?
Razões dos falhanços dos processos de mudança
Como conduzir os processos de mudança?
Súmula conclusiva
 
Capítulo 16 – Desenvolvimento organizacional sustentado: aprendizagem e inovação
Introdução
Aprendizagem organizacional: mistificação ou adaptação competitiva?
Seis modos de aprendizagem organizacional
A organização como esponja
O processo de renovação organizacional: aprendizagem e desaprendizagem
O papel dos líderes na criação e no fomento da organização aprendente
Capacidades de aprendizagem organizacional e desempenho
Práticas e ferramentas para incrementar a capacidade de aprendizagem organizacional
Inovação e destruição criativa
O conceito de inovação
Porque a inovação é tão importante para as organizações?
Etapas fundamentais do processo de inovação
Fatores da inovação - desde o nível individual ao ecológico
Modelos de inovação organizacional
Três modelos integrativos
"A arte de inovar com pouco dinheiro"
Súmula conclusiva
 
Capítulo 17 – Poder, influência e comportamentos políticos: nos bastidores da organização
Poder, o último tabu organizacional?
Um olhar sobre o lado mais sombrio das organizações
Conceito de poder e sua caraterização
Fontes de poder interpessoal
Fontes de poder estrutural e contextual
A influência e os comportamentos políticos
Antecedentes individuais, organizacionais e situacionais dos comportamentos políticos
Implicações da atividade política
A má reputação da política e a gestão da hipocrisia organizacional
As táticas políticas e o jogo do poder praticado pelos menos poderosos
Súmula conclusiva
 
Capítulo 18 – Para concluir: pouco mais de uma dúzia de rumos para um futuro anunciado
Na senda da sustentabilidade
Redes sociais
Liderança tóxica
Organizações positivas: contrariando a toxicidade
De empregados a talentos
Liderança sem autoridade formal
Novos modelos de negócio
Velocidade e vantagens competitivas temporárias
Ética e virtuosidade
Meritocracia e a noção de mercado interno
Sentido de comunidade de trabalho
Novos desenhos
Estratégia e execução: uma dialética?
Neurociência e comportamento organizacional
Súmula conclusiva
 
GNOMO - Grupo (Permanente) de Normalização do Vocabulário Organizacional
 
Referências